Castanhola

A castanhola é um instrumento de percussão criado pelos fenícios há três milênios, tendo sido introduzido nos demais países do Mediterrâneo através do comércio marítimo desenvolvido por esse povo. Na Espanha, tornou-se num instrumento nacional. O nome deriva do seu formato, que lembra uma castanha.

É constituído por dois pedaços de madeira em forma de prato fundo, perfurado e ornamentado com uma fita que se coloca em redor do polegar.

As castanholas servem de acompanhamento rítmico para muitas danças folclóricas, como o flamenco, por exemplo. Na orquestra são colocadas no extremo de uma pequena vara que é agitada, facilitando deste modo a sua execução a estrangeiros. Empregam-se na música erudita para obter um colorido espanhol, por exemplo, "Carmen" de G. Bizet.

Para tocá-las, há que segurá-las com o polegar através do cordão que as une; o qual atravessa a sua parte superior, chamada "orelha", fazendo-as estalar através da percussão rítmica dos restantes dedos. Em algumas ocasiões, as castanholas de uma das mãos batem com as da outra, dependendo dos passos de baile.

Também podem ser produzidos efeitos de glissando, ondulando (alternando as duas mãos), trilos e rufos vêm do norte de Portugal.

No Brasil, as castanholas chegaram a ser usadas nas rodas de capoeira angola promovidas pelo Mestre Pastinha, mas caíram em desuso.